Projetos

Coronelismo eletrônico versus convergência das comunicações: poder e negociação na relação entre democracia e novas tecnologias

Este projeto de pesquisa pretende analisar as dinâmicas assimétricas de poder e negociação na implantação das novas tecnologias de comunicação no Brasil no período compreendido entre 1985 e 2012. Á luz da literatura historiográfica relativa ao fenômeno coronelismo, tentaremos resgatar um conjunto de enunciados deste sistema, defender sua pertinência enquanto herança conceitual conveniente e propor uma categoria analítica para o modelo brasileiro de comunicações. Para isso, será necessário concatenar: a) o papel dos meios de comunicação como elemento de ruptura ou continuidade no sistema político nacional; b) as especificidades geopolíticas do mercado brasileiro; c) as potencialidades do uso das novas tecnologias de comunicação e informação para o avanço da democracia e da inclusão social; e, por fim, d) as lógicas predominantes na formulação de políticas públicas para o setor. 

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Integrantes: Suzy dos Santos – Coordenador / Sérgio Capparelli – Integrante / Graciela Barioni Selaimen – Integrante / Israel Fernando de Carvalho Bayma – Integrante / Henrique Antoun – Integrante / Luiz Felipe F. Stevanim – Integrante / Raffaele Enrico Calandro – Integrante / Roberto Martins de Araújo – Integrante / Ana Júlia Cury de Pinto Cabral – Integrante / Daniel Fonsêca Ximenes Ponte – Integrante.

Financiador(es): (CNPq) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa / Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Auxílio financeiro.

Número de produções C, T & A: 29 / Número de orientações: 4

Internet, espetáculo e geração de valor pelo trabalho semiótico reticular

Projeto aprovado pelo CNPq em dezembro de 2012 (Processo 405820/2012-7 nos termos da chamada 18/2012), desdobra institucionalmente projeto anterior, no âmbito do PPG-ECO, até então denominado “Economia Política da Cultura e da Internet”. Projeto iniciado em 2012, a partir de algumas incursões teóricas anteriores, visa discutir fenômenos tais como “economia criativa”, “pirataria”, “redes sociais” e similares, todos, de algum modo, relacionados à internet, sob o crivo do conceito de “sociedade do espetáculo” (Débord) conforme impulsionada pelas corporações mediáticas globais que investem e gerenciam a produção e distribuição de conteúdos produzidos na lógica da indústria cultural (Time-Warner, Disney, Google, Facebook etc.), produzindo audiências que se traduzem em publicidade e outras fontes similares de receitas. O estudo agora redefinido terá por objetivo examinar os processos de produção de valor (econômico) pelo trabalho não pago de milhões de internautas que fazem uso das “redes sociais” em suas práticas lúdicas ou profissionais cotidianas, assim fomentando a acumulação de capital por corporações como Facebook, Google e similares. . 

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (1) . 

Integrantes: Marcos Dantas Loureiro – Coordenador / Suzy dos Santos – Integrante / Sonia Aguiar Lopes – Integrante / Oona Caldeira Brant M. de Castro – Integrante / Alvaro S. Neiva Moreira – Integrante / Marcela Canavarro – Integrante.

Número de produções C, T & A: 5 / Número de orientações: 2

Novo regime nas Comunicações: reestruturação empresarial e intervenção social na construção do marco regulatório brasileiro

Este projeto visa acompanhar, discutir, elaborar teoricamente o atual processo em curso no Brasil de redefinição dos marcos legais e regulatórios vigentes nas Comunicações. O projeto deverá aprofundar a discussão sobre a chamada convergência tecnológica ou convergência de mídias , mirando o contexto brasileiro dentro do contexto mundial, tentando melhor entender a cadeia produtiva das comunicações sociais eletrônicas e sugerindo que nesta reorganização econômica e política estão sendo abandonados princípios de serviço público que, até passado recente, norteavam as regras e normas organizadoras das comunicações. A Iª Conferência Nacional de Comunicação (Iª Confecom), realizada em dezembro de 2009, aprovou um grande conjunto de proposições que, se vierem a ser incorporadas às leis, poderiam recuperar aqueles princípios mas entram em contradição com as tendências empresariais a formar jardins murados que, hoje, parecem nortear a evolução econômico-empresarial dos média. A pesquisa investigará como a chamada sociedade civil não-empresarial perseguirá a construção de um novo marco normativo que introduza, na cadeia horizontalizada das comunicações convergentes, princípios de serviço público pelos quais ela venha a ser subordinada às demandas democráticas mais amplas da sociedade, não apenas às determinações do mercado.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
 
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . 
 
Número de produções C, T & A: 17 / Número de orientações: 2

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s